segunda-feira, janeiro 07, 2008

A mulher fantástica que tu eras.

É certo que quando damos cinco passos para a frente damos um ou seis para trás. A vida é um retrocesso. Neste tempo em stand by. Por mais que o dia avance a noite limpa-me o sorriso e enche-me os pensamentos de porquês. Porque as palavras têm a força que lhes queremos dar e também se mente de corpo e alma, tal como se ama. Tal como se acredita. Se a mentira nos bastasse seriamos felizes. Mas não basta. E seguimos com ela, com o seu peso nas nossas costas e com o sorriso que os outros fazem por ela. Como se nada fosse, como se nada tivesse sido. Mas foi. Das nossas lágrimas saem as verdades incontornáveis, naquilo que nos encontramos sempre, a todas as horas. Mas a dúvida dobra-nos cabeça e faz-nos baixar o olhar. A vergonha de um dia ter dito que sim que podia, que dava, que estava certo, mesmo sabendo errado. Porque não se consegue mudar o passado caminhamos com ele, lado a lado. Todos os dias no mesmo sentido.

Sou a mulher que sou, igual a todas as outras.

4 comentários:

Ele disse...

Um pouco mais madura, não?

Pedro disse...

Estás a crescer, sem dúvida!

Maria do Consultório disse...

Gostei muito. Não percebi nada, mas gostei da prosa.

José Leonel Perfeito disse...

"Sou a mulher que sou, igual a todas as outras." - Isso é grupo, amiga, os homens é que são todos iguais.
Para remediar podes dizer:-Sou a pessoa que sou, igual a todas as outras. He he he.