quarta-feira, novembro 21, 2007

E o tema!

Porque estas parvas, esta e esta, puseram-se a falar do Natal e de coisas de pequenos, prantes! Lá vai ter que ser. Eu cá estou com a Maria, quis lá bem saber quem trazia as prendas, se era o Pai Natal se o Menino Djizas. Para mim era-me indiferente. Queria era as prendas. Até poderia ser o bicho papão que eu estava-me bem a marimbar.
Sempre tive 576764 presentes. Era barbies, barriguitas, banheira das barriguitas, guarda roupa das barbies, roupas, playmobis (não sei como se diz no plural) a cozinha e a banheira de não sei quem, uns bonequinhos totós quaisquer. Sempre preferi as barbies, que eram lindas e louras até ter a minha primeira morena. Tive um ken que era o Rockstar e tinha um cabelo que por amor de deus, levou uma tesourada e ficou bem fashion com o cabelos aos altos e baixos. Um promiíscuo esse ken, comia as barbies todas. Depois arranjei um baixote qualquer para a skipper e a coisas lá se compuseram, 2 para 35 barbies (queriam não queriam meninos?!). A minha primeira barbie veio pela chaminé (é verdade) foi a primeira barbie no mercado e veio pela chaminé da casa da minha avó na Madeira. Podem calcular, foi a LÓCURA.
Depois de descobrir que o Pai Natal não existia, porque achei quer era demais o meu pai, a minha mãe e a minha tia atrasarem-se sempre para a Missa do Galo e eu ficar lá em baixo no carro à espera deles com o meu irmão e os meus avós, achei que seria pertinente contar ao meu irmão de modo a que ele deixasse de ser um enganado (sempre fui uma miuda que quis espalhar o bem). Ele refutou, mas eu lá lhe consegui convencer, com a minha avó aos gritos para abafar a minha voz de bagaço, que era tudo uma cabala e que mesmo que nos portássemos mal o ano inteiro iamos ter sempre prendas.
Hoje em dia continuo a ser a materialista de sempre e quero é presentes e cacau quente e e carne de vinho e alho. A noite de natal deixou de ser mágica, mas sabe sempre bem uns diazinhos de festa.

7 comentários:

Para sempre, Maria disse...

Que isto se mantenha entre nós: eu tive um Disco Ken...é verdade...

wednesday disse...

A verdadeira apologista da verdade...

Eu não me lembro de quando descobri que não havia pai natal.

kitty disse...

Ai as barriguitas! Eu também as adorava e também tinha a banheira. E também gostava de brincar com pinipons. E o dia que tive a minha barbie também está guardado na lembrança

MiSs Detective disse...

maria,
disco ken? pa se calhar eraesse, ja nao sei! (nao conto a nng.. por 50€)

wed,
ainda acreditas, foi hoje q descobriste averdade, admite!

kitty, pinipons, tambem tinha disso sim, nao me lembrava, tinha o carro ou a carroça!

PrimaNocte disse...

"...Sempre fui uma miuda que quis espalhar o bem..."

eheheheheh....


Lindo, lindo, lindo....

I&U disse...

Deixou de ser mágica, mas continua a ser especial ;)

wednesday disse...

miss, eu não queria admitir, mas é verdade...

ELE NÃO EXISTE?!?!?!