segunda-feira, janeiro 29, 2007

tragédia clásica, uma hora de comédia é arte.

Medeia,

Uma peça que juntou a Companhia Paulo Ribeiro e o Chapitô e muito bem numa tragédia clássica com direito a gargalhadas durante pouco mais de uma hora.Medeia - filha do rei Aetes - e os mitos que a envolvem deram origem a múltiplas interpretações. Conta a história de uma estrangeira perseguida, esposa repudiada, provedora de vida e morte, é política e humanista, acredita na paz e na igualdade entre os homens e os deuses, num momento sedutora, noutro manipuladora, mãe protectora e ser de uma imensa crueldade, cujo fim transcende a própria tragédia.

Assassinato, carnificina, crueldade, sofrimento, humilhação, engano, lascívia, fúria, desespero, vingança e tragédia são alguns dos ingredientes desta comédia negra, criada a partir do texto clássico de Eurípides.

Uma peça com 2 bailarinas, Leonor Keil e Marta Cerqueira, e 2 actores, Jorge Cruz e José Carlos Garcia, que multiplicam e transformam-se originando no espectador uma sensaçao de que tudo é possível. Uma peça a não perder.
Vão ver porque vale muito a pena!
(tirando as cadeiras que dão uma ligeira dor de costas!)
De 11 de Janeiro a 25 de Fevereiro, na Tenda do Chapitô.

2 comentários:

Luis Andrade disse...

comparativamente aos outros espectáculos que o John Mowat tem feito com a Companhia do Chapitô, este revela-se muito pobre em ideias e surpresas.
Bailarinas óptimas que não dançam?... e que representam muito mal... Repetição de soluções já utilizadas noutros espectáculos e uma dificuldade real de entendimento da história, mesmo para quem já a conhece...
Não é mau, mas está longe do muito bom que já vi do John Mowat e da Companhia do Chapitô.

MiSs Detective disse...

lá está, gostos são gostos.. e eu gostei :)